Fora da zona de conforto

zona de conforto

 

Às vezes parece que foi ontem que entrei naquele avião no aeroporto de São Paulo com destino à Amsterdam. O coração em pedaços. Chorei o voo inteiro. Os abraços na minha família, a preocupação nos olhos da minha mãe, o gosto amargo da despedida. Expectativa, sonhos e um mix de medo e curiosidade embarcavam comigo.

Vim para a Holanda com data certa para voltar ao Brasil, mas, como vocês sabem, não foi bem assim que aconteceu. É engraçado pensar como as coisas funcionam. Tantas vezes fazemos planos e vem a vida e simplesmente os refaz e muda tudo. Não estou reclamando (continue com as surpresas boas, vida… por favor), até porque uma vida sem surpresas seria um baita tédio.

Desde aquele dia no aeroporto, quase 1 ano e meio se passou. Ainda me lembro de chorar até dormir no primeiro dia em terras holandesas, me perguntando se era aquilo mesmo que eu queria. Terminei meu intercâmbio, tive a oportunidade maravilhosa de passar alguns meses na Espanha e agora estou de volta à Holanda, prestes a morar em uma cidade nova pra mim, diferente da que morei durante meu ano de intercâmbio. Nesse tempo todo aprendi uma língua nova (e melhorei outras duas), conheci pessoas incríveis e lugares que nem nos melhores sonhos eu pensei que iria, vi neve pela primeira vez e me apaixonei pelo outono com suas folhas vermelhas e amarelas everywhere. Chorei de saudade, ri até a barriga doer, engoli muitos sapos, passei vontade, vergonha e frio, quis voltar pra casa, superei medos, realizei sonhos, tive o meu primeiro natal longe da minha família, engoli o choro de saudade no meu aniversário e no deles, cresci. Cresci muito. Mudei meu jeito de enxergar o mundo e as pessoas, e hoje sou mais tolerante comigo e com os outros.

Apesar de ser indecisa e ter problemas sérios para tomar decisões, quando faço, procuro optar sempre por aquilo que me faz feliz. Às vezes quebro a cara, mas quem nunca né? Graças a Deus cresci rodeada por amor e por uma família maravilhosa que sempre esteve ao meu lado me ajudando a superar as decepções e me ensinando a nunca desistir. Nem me lembro quantas vezes vi minha mãe tirar forças de onde parecia impossível para recomeçar. E sempre com um sorriso no rosto. Com ela, aprendi a importância de sonhar e batalhar pra realizar.

Se eu fosse colocar na balança tudo o que venho vivendo desde que mudei de país, com certeza o lado de coisas positivas pesaria mais. Não estou dizendo que são só flores, mas procuro ver o lado bom e tirar algum proveito das dificuldades que enfrento, e assim sigo, aprendendo sempre. 

Seguir nossos sonhos exige determinação e sacrifício. É preciso sair da zona de conforto e o preço a pagar por isso é diferente pra cada um. O meu foi alto, mas sei que a saudade que sinto todos os dias é a prova do quão sortuda eu sou por ter na minha vida pessoas que me amam tanto e me apoiam mesmo estando longe. E que venham mais sonhos, planos e realizações.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR:

2 thoughts on “Fora da zona de conforto

  1. Kaaaate. Acabei de ver seu story time no canal da pri e decidi fazer o aupair pra holanda. Porem ja paguei agencia para os eua entao depois dos eua sera holanda (pq quero morar em varos lugares desse mundo rsrs). Tenho algumas duvidas.
    Aupair ai é so um ano?
    Como é a imigraçao no pais, existem mais possibilidades que os eua?
    Ja que o processo é on line, poderia fazer estando nos eua? Ha alguma parte do processo que dependa que eu esteja no BR?
    Tranquilo sobreviver com o salario dai?
    Como é o clima.
    Como ficaram os gastos, o que a aupair paga ou nao.
    E os direitos, sao os mesmos dos eua? Casa, comida suporte pra rematch e etc. Afe muita pergunta.

    Muito obrigada.
    Abs

    1. Oi Mari, tudo bem?
      Au Pair na Holanda é só por um ano sim, não pode ser renovado por mais um ano como acontece nos EUA. O que muitas pessoas fazem é ir como Au Pair para a Belgica após terminar o ano na Holanda. Tem como ir para outros países também, como Alemanha, Austria, Dinamarca, Suecia etc. Há também a possibilidade de trocar o visto para estudante (mas é caro estudar aqui caso você não tenha passaporte europeu). Outra possobilidade é trocar o visto para partner, que é um visto de namorado. (Da uma olhadinha no site do orgão de imigração https://ind.nl/EN , pra conseguir informações detalhadas).
      Até onde eu sei, para solicitar o visto de Au Pair na Holanda, é preciso estar no Brasil, mas não sei se isso varia de agência para agência. Vale a pena entrar em contato com a agência que você tem interesse e perguntar direitinho. Vale lembrar que aqui na Holanda é obrigatório vir com agência.
      O pocket money aqui é 340 euros por mês, mas economizando dá pra viver tranquilamente e viajar bastante. Assim como nos EUA, alimentação e moradia é responsabilidade da família, e em caso de rematch, você permanece na casa por um periodo estipulado pela agência e recebe ajuda da mesma para encontrar uma outra família (mas você também pode procurar por conta propria e até mesmo mudar de agencia caso queira).
      Sobre o clima… bom, não é o melhor do mundo! hahaha mas nada terrivel. Chove bastante, venta muito, mas voce acostuma. Mas de vez em quando temos dias ensolarados 🙂
      Bom, espero ter ajudado. De uma olhadinha nos meus posts na Categoria Intercâmbio, acho que talvez ajude a ter uma ideia melhor da vida de Au Pair na Holanda, e qualquer coisa pode me perguntar.

      Beijos e boa sorte!

Comente aqui