Viajando sozinho: Dicas e Vantagens

passaporte1

 

Quando eu digo que uma das viagens mais incríveis que eu já fiz na vida foi uma viagem completamente sozinha, eu e euzinha, muitas pessoas me chamam de corajosa com aquele olhar de ”você é louca!”, já outras se interessam e me enchem de perguntas do tipo ”nossa, mas não é perigoso?”, ”você não se sentiu solitária?”.

Eu entendo o frio na barriga que pode ocorrer ao pensar em planejar uma viagem sozinho. Eu senti isso. Mas acreditem, viajar com você mesmo pode ser incrível!

Pensando nisso, preparei algumas dicas e vantagens para você que está pensando em tirar férias com você mesmo.

 

Planejamento

Essa é a minha parte favorita sobre viajar sozinha. Você é o único interessado, portanto livre para decidir todos os roteiros e quanto tempo dedicar a cada um deles. Ninguém vai se importar (ou reclamar) caso você decida ficar um dia inteirinho em determinado parque ou museu, ou se resolver visitar todas as lojinhas de souvenir da cidade. Ah, e caso prefira viajar sem planos ou mudar algo de última hora, ninguém vai te encher o saco por isso.

 

Hospedagem

Uma coisa que eu sempre faço nas minhas viagens, sozinha ou não, é tentar me hospedar o mais perto possível das principais atrações ou centro da cidade. Também costumo pesquisar sobre a região para que, ao chegar, não me sinta completamente perdida. Se você, assim como eu, não é muito bom com mapas ou consegue se perder mesmo com a voz do google maps te dizendo exatamente aonde ir, então essa dica vai te ajudar.

Ainda sobre hospedagem, se um dos seus objetivos é conhecer pessoas, então anota aí: Hostel. Com opções de quartos individuais ou coletivos (mistos ou não), hostel são geralmente mais animados, com staff jovens e pessoas de todos os lugares do mundo. Muitos ainda contam com bares e áreas comuns onde você terá a oportunidade de conversar e conhecer pessoas que, muitas vezes, também estão viajando sozinhas. Ah, hostel costuma ser mais baratinho, então você pode economizar uma grana. E se for solteira (o), hostel funciona melhor do que Tinder.

 

 

Conhecendo gente nova

Como eu já disse, é possível conhecer um monte de gente quando se viaja sozinho. Além de hostel, barzinhos ou whatever, você também vai precisar se comunicar por necessidade. Sim, afinal seu namorado (a)/amiga/primo/irmão não estará lá para pedir uma bebida ao garçom, solicitar alguma informação ou até mesmo para tirar aquela sua foto mara na Torre Eiffel. Sendo assim, você precisará se comunicar.

”Tá, mas eu não falo a língua desse país”

Bom, em praticamente (se não todas) as cidades mais turísticas do mundo, as pessoas também falam inglês, pelo menos o básico. Caso você não seja familiarizado com o inglês, a minha dica é estudar o basicão, o necessário para se virar no dia a dia. Se ainda assim, ao chegar ao seu destino, tiver dúvidas (e provavelmente terá, com inglês na ponta da língua ou não), não se desespere. Com jeitinho, mímica ou google tradutor você vai sair dessa. E sempre tem algum outro turista ou morador disposto a ajudar. Uma dica valiosa é aprender pelo menos algumas expressões na língua local, como: por favor, obrigada, bom dia etc. Além de te ajudar a se comunicar, nativos costumam apreciar seu esforço. A minha primeira viagem sozinha foi também internacional e eu mal sabia o verbo to be. Me esforcei, sobrevivi e foi maravilhosa, então relaxam e aproveitem.

 

Segurança

Quando me perguntam, eu sempre respondo que é mito achar que viajar sozinho é sinônimo de perigo. É claro que, não tendo companhia, você é o único a zelar pela sua segurança, mas o que normalmente acontece (pelo menos comigo) é que, estando sozinha, eu acabo ficando muito mais atenta ao meu redor. Talvéz pelo fato de não ter alguém tagarelando comigo o tempo todo. Cuidados ao sair durante a noite, preferindo sempre ruas mais movimentadas à desertas ou atenção aos seus pertences são necessários, mas eu acredito que isso seja em relação a qualquer viagem que você venha a fazer, e não necessariamente pelo fato de estar ou não acompanhado.

Outra dica relevante em relação à segurança, é fazer cópias dos seus documentos, como passaporte, e levar sempre com você aonde for. Deixe os originais no hotel, em uma mala ou em algum outro lugar seguro. Assim, caso aconteça de perder ou ser furtado, o original estará guardado.

 

Você é uma companhia incrível

Talvéz você ainda não saiba, mas é verdade: você é muito mais legal do que imagina. Viajar com amigos, família ou namorado (a) é uma delicia. Eu também adoro. Mas ter a oportunidade de passar algum tempo com você mesmo e apreciar esses momentos, é maravilhoso.

Na minha primeira viagem sozinha, eu tive o privilégio de me conhecer melhor e passei a me amar mais. Isso porque nos momentos em que eu estava completamente sozinha visitando alguma galeria ou me perdendo em ruas pequenas e bonitinhas, eu me vi conversando mentalmente comigo mesma e apreciando a minha capacidade de encontrar lugares maravilhosos sem a ajuda de um mapa ou me virando para pedir informações em uma língua completamente nova.

 

Eu costumo dizer que  viajar sozinho é revelador, e que todo mundo deveria ter essa experiência ao menos uma vez na vida.

Aproveitem! ♡

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR:

2 thoughts on “Viajando sozinho: Dicas e Vantagens

Comente aqui