Intercâmbio na Irlanda – Por Líh Freitas

Tá pensando em fazer intercâmbio, melhorar o inglês e morar em um país europeu incrível com paisagens de tirar o fôlego? Eu poderia estar falando da Holanda pra variar, mas hoje o destino aqui é outro: Irlanda!
Convidei a Líh Freitas do Blog Eu Viajei para vir contar como é a vida de um intercambista em um dos destinos mais procurados pelos brasileiros na hora de se aventurar mundo a fora. Vamos lá? 🙂

 

Irlanda

 

”Oi, Eu sou a Lívia, tenho 28 anos, paulista e aprender inglês sempre foi uma vontade minha, estudei em escolas de idiomas, fiz aula particular, mas não conseguia sair do bendito nível intermediário. Além disso, tinha passado por um período difícil na vida pessoal e queria respirar novos ares. Parecia então que um intercâmbio seria perfeito, unindo essas duas vontades: morar fora e desenferrujar o inglês de uma vez por todas.

 

Porque escolhi a Irlanda

Sempre fui uma pessoa apaixonada pela antiguidade e a Europa é cheia de história e cultura. A Irlanda surgiu como uma oportunidade de estar no continente antigo, estudar inglês em um lugar bacana por um preço justo e desfrutar das paisagens mais lindas que já vi.

 

Meu intercâmbio

Quando decidi que iria fazer o intercâmbio a primeira coisa que fiz foi começar a pesquisar escolas, agências e custo de vida. Minha experiência me mostrou que uma agência de intercâmbio não é essencial para quem não se importa de pesquisar bastante as escolas e negociar direto com elas. Eu acabei optando por uma agência mais por medo de estar em um outro país sozinha. Mas no final vi que é bem tranquilo.
O custo de vida na Irlanda, principalmente, se você escolher a capital Dublin, tem se tornado cada vez mais salgado. O motivo é que a demanda de intercambistas aumentou muito nos últimos anos. Além disso, a cidade já é uma cidade universitária, também procurada pelos próprios Irlandeses que vivem no interior. Então a alta demanda fez os preços dispararem. O aluguel é onde mais se gasta, seguido pelos gastos com alimentação. O custo de vida pode variar muito de acordo com o seu estilo de vida. Mas é bom saber que por menos de 700 euros por mês é bem difícil viver decentemente em Dublin.

 

Tem muitas opções de acomodação:

Residência estudantil compartilhada – algumas escolas de idioma e universidades possuem suas próprias residencias, nem sempre elas são mais caras, mas são muito concorridas e precisam de reserva com antecedência (muita, aliás).
Quarto em casa compartilhada – uma das opções mais comuns em Dublin é dividir a casa com outros estudantes. A opção é boa, mas exige adaptação e espírito de equipe, digamos. Vale a pena por ser econômica.
Minha dica é procurar bem com quem você vai dividir porque isso pode fazer muita diferença na sua paz espiritual no dia a dia e evitar estresse. É possível encontrar casas com quarto só para você ou ainda quartos compartilhados. Aí vai do seu budget.
Alugar apartamento – se o seu orçamento permitir, você pode também encontrar apartamentos, as chamadas kitnets, e viver sozinho.
Casa de família – uma boa opção para quem quer viver o dia a dia como um Irlandês, praticar inglês e conhecer mais a cultura local. Mas, pense bem, pois você precisará seguir as regras da família.

Na minha experiência eu escolhi morar em quarto em casa compartilhada. Dividia o apartamento com mais duas meninas e tinha um quarto só para mim. Foi bem tranquilo e quase não tive problema, foi mais um processo de adaptação normal. O preço que pagava era de 400 euros por mês, mas tinha meu próprio banheiro. Eu acabei optando por essa opção para ter um pouco de privacidade.
Um dos sites mais usados para alugar na Irlanda é o http://www.daft.ie/, nele dá pra encontrar uma boa variedade de lugares.

Irlanda

 

Minha escola

A Irlanda está cheia de escolas de idioma (muitas mesmo). Eu escolhi fazer meu curso de inglês na DCU, que é uma universidade que oferece programas de intercâmbio. O custo foi cerca de 14 mil reais na época que fechei (2014). Tem muitos valores mais em conta, mas aí vai minha dica: Cuidado em tentar economizar muito na escola, algumas não têm a licença necessária do governo para ensinar e acabam servindo apenas como “visto fácil”. Se você quer mesmo estudar inglês e sair com um nível bom, eu recomendo escolher uma escola bem recomendada e confiável.
O curso de inglês na Irlanda tem duração normalmente de 6 meses e te dá o direito de um visto por 1 ano, podendo trabalhar nas férias. Além disso, como regra é necessário trazer 3 mil euros para provar a imigração na hora de pedir o visto, o processo do visto é feito depois da sua entrada no país. Você vai precisar ir na Imigração e solicitar o visto de estudante lá. Com isso, você terá direito ao GNIB que seria algo como nosso RG.

 

Trabalho

Eu não cheguei a trabalhar durante meu intercâmbio na Irlanda, mas fiz muito amigos que trabalharam, o mais comum é conseguir como au pair (o programa não é regularizado pelo governo, a negociação é feita direta com a família), atendentes em pubs e hotéis. Quem é da área de Tecnologia tem grandes chances de conseguir uma posição.
Sites úteis:
http://www.monster.ie/
http://www.jobs.ie/
https://kangarooaupair.com/ie

 

O que mais gostou na Irlanda

Eu sempre gostei de tempo frio, então a Irlanda foi um lugar perfeito pra mim. Além disso, as paisagens são impressionantes, tem muito lugar bonito para conhecer e tirar muitas fotos. Um ponto que me cativou também na Ilha Esmeraldo foi a segurança e poder circular de bicicleta pela cidade.
Dica: cuidado com sua bicicleta, por incrível que parece o índice de roubo de bikes em Dublin é grande. Tenha um bom cadeado e passe pela roda também!

Irlanda

 

O que menos gostou

Uma das coisas que mais ouvia as pessoas reclamando na Irlanda era sobre o tempo. A chuva aqui é bem frequente e isso é bem complicado para uma mulher que quer arrumar o cabelo, rs. Também sofri um pouco com a adaptação da comida, preferia fazer meus próprios pratos. Outro ponto que me incomodou na Irlanda é a disputa muito grande por aluguéis, é comum você visitar 10 lugares e não conseguir ficar com nenhum. Por isso, tenha paciência.

 

Valeu a pena?

Viver na Irlanda durante 1 ano foi uma grande escola da vida pra mim. Uma das experiência que mais me fizeram crescer e me conhecer melhor. Além disso, finalmente consegui sair do bendito nível intermediário no inglês e falar fluentemente. Apesar dos perrengues que todo intercambista passa, minhas experiências valeu muito a pena.
Espero que esse post tenha sido útil e possa ajudar você a embarcar em uma jornada pela Irlanda! Até breve!”

Irlanda

 

 

E aí gostaram? Eu amei e já coloquei Irlanda aqui na minha lista de próximos países a visitar.
Caso queiram saber mais sobre a Irlanda ou acompanhar a vida da Líh, não deixem de conhecer o blog dela que tá cheinho de informações e dicas! Blog Eu Viajei e @freitas.lih no Instagram.

Beijos

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR:

Comente aqui