O que aprendi namorando alguém de outro país

Verdade seja dita: cada relacionamento é único e nenhum deles acompanha manual de instruções. Isso por si só já significa que se relacionar com alguém é um grande desafio, onde compartilhamos nossas vidas e nossas vivências com uma pessoa até então desconhecida e com experiências e sonhos diferentes dos nossos. Em um relacionamento intercultural, além disso tudo que já falei, a pessoa ainda terá cultura, língua e país diferente do seu, o que certamente pode ser um desafio ainda maior.
Desde o início do meu relacionamento com o Tim, muita coisa mudou e nós amadurecemos muito individualmente e como casal. Foram muitas adaptações, momentos e etapas, e hoje percebo o quanto o nosso namoro nos mostra um mundo novo de descobertas a cada dia.

 

De tudo o que aprendi nesse tempo, destaco algumas lições que foram as mais valiosas para mim:

 

Manter minha mente sempre aberta

E não dar importância a estereótipos. Imagine se eu fosse ligar pra fama de frios que os holandeses tem? Ia ter perdido um partidão hahaha. Além disso, algumas coisas que são óbvias e comuns para mim, não fazem nenhum sentido para ele. E isso se aplica a coisinhas bobas do dia a dia ou mesmo estilo de vida. A verdade é que aceitei que o meu jeito brasileiro de ser não é a lei que governa o universo, e certo e errado é algo muito relativo.

 

Respeitar as diferenças

Super relacionado ao item anterior, aprendi que, além de manter a minha mente aberta ao novo, é preciso respeitar e deixar o preconceito de fora quando se relaciona com alguém com outra cultura. É importante lembrar que são essas diferenças que tornam a pessoa que está ao seu lado quem ela é.

 

Conversar abertamente para evitar desentendimentos

Nos comunicamos em inglês – que é a minha segunda língua e a segunda língua dele – e já nem me lembro quantas vezes não encontrei palavras que expressassem exatamente aquilo que eu queria dizer em determinado momento e isso acabou gerando, além de frustação, algum mal entendido. Até mesmo o tom de voz já foi motivo de olhares tortos entre a gente no começo, pois o que muitas vezes para mim é normal, para ele pode soar ríspido, ou vive e versa. Então nada melhor do que conversar para evitar climão.

 

Sorrir ao invés de me estressar

Vivendo na Holanda (e ainda estudando a língua), eu já passei por inúmeras situações onde eu estava boiando nas conversas. Felizmente, gestos e sorrisos são universais e eu uso e abuso desses recursos em vários jantares em família ou saidinhas com os amigos dele. Mesmo que todo mundo se esforce para manter em inglês, são vários os momentos em que a conversa sai da tecla sap. Então, por mais que isso possa ser chato, eu aprendi que desencanar um pouco e encarar essas situações com leveza é muito melhor.

 

Evitar brigas desnecessárias

Por pura preguiça, confesso hahaha. Brigar em português já é chato, em inglês pior ainda. Então nada melhor do que respirar, contar até mil e conversar mais tarde quando a poeira baixar.

 

Amar numa outra língua

Desde o comecinho do nosso namoro, eu passei a ver o mundo sob uma nova perspectiva. Um mundo com outros valores, hábitos, tradições e ideias, algumas bem diferentes das minhas. Aprender e ensinar são coisas que praticamos todos os dias, e isso inclui palavras novas em holandês ou português, coisas que fazemos no nosso país e o outro não faz, ou alguns hábitos e manias. O Tim, por exemplo, achou super “exótico” a primeira vez que fiz arroz, feijão, batata frita e salada para o jantar. Hoje em dia até farofa ele coloca no prato! É aquilo né… 99% holandês, mas aquele 1%… hahaha. Nosso dia a dia é repleto de compreensão e descobertas até hoje e, apesar de todas as nossas diferenças, o amor que temos em comum e tudo o que construímos juntos é o que realmente importa. ♡

 

relacionamento intercultural

 

 

E você, namora ou já namorou alguém de outro país? Viveu alguma dessas experiências também? 🙂
Se você namora um holandês ou tem curiosidade em saber um pouco sobre a cultura deles, fiz um post falando sobre isso aqui.

Beijos e tenham uma ótima semana! ♡

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR:

3 thoughts on “O que aprendi namorando alguém de outro país

  1. Perfeitooo, to pesquisando para ir como au pair para a Holanda porque já fazia parte de um dos países que queria conhecer por alguns motivos mas que agora pesa muito mais por namorar um holandês.. estou fazendo intercâmbio em Dublin e foi onde o conheci.. haha bom, já to encantada por aí depois de alguns meses de vivências mas compartilho que seu blog me doou um pouquinho de energia, visto que meu visto está acabando e bateu um certo desespero. Obrigada!

  2. Oi, Ke! Adorei seu blog, muito esclarecedor! Pretendo fazer o mesmo, ser au pair na Holanda, se Deus assim permitir…
    Conta pra gente curiosa como como conheceu seu namorado?, hahahahah!
    Brasileiros em geral sofrem algum tipo de preconceito na Holanda?

    Abraço e sucesso!

Comente aqui